sexta-feira, março 14, 2014

Caso Esportivo: Procurador diz que justiça não foi feita e deve recorrer

Foto: MC10
            O Esportivo, de Bento Gonçalves foi punido com a perda de 5 mandos e multado em 30 mil reais pelos atos de racismo contra o árbitro Márcio Chagas da Silva, no jogo contra o Veranópolis, no Estádio Montanha dos Vinhedos, válido pelo Gauchão 2014. O julgamento ocorreu na noite de quinta-feira no Tribunal de Justiça Desportiva, na Federação Gaúcha de Futebol e durou quase 4 horas. O procurador Alberto Franco, do TJD, disse a Rádio Gaúcha, não houve justiça: "Não foi feita Justiça. A justiça seria a perda de pontos" - declarou.
            A votação chegou a estar empatada. Dois auditores pediram perda de pontos do clube no Campeonato Gaúcho. O presidente da comissão acabou desempatando o caso. Franco ainda revelou que vai recorrer da decisão. O recurso, se julgado, terá a presença de 9 auditores. A última instância é o STJD, no Rio de Janeiro.

Um comentário:

otário disse...

"Não foi feita justiça, porque justiça seria o que eu quero que seja feito!"
Mais ou menos isso o que ele quis dizer!